REINAÇÕES DE NARIZINHO

Segundo a Justiça de São Paulo, Paulo Bernardo, ex-ministro de Lula e Dilma Rousseff, chefiava uma organização criminosa que roubou R$ 100 milhões de funcionários públicos e aposentados. Hoje ele foi libertado por Dias Toffoli, ex-advogado do PT.

Gleisi Hoffmann, toda animada pela soltura do marido, mandou que Janaína Paschoal se calasse na comissão especial do impeachment no Senado.

Recebeu a resposta à altura da brilhante advogada: “Por força desse comportamento reiterado das nossas autoridades — no sentido de dizer ‘eu sou autoridade, você não é ninguém: portanto, cale-se’ — é que o país está desse jeito.”

Olho no lance: a arrogante senadora do PT é investigada pela PF, cuja campanha teria recebido R$ 1 milhão do esquema de corrupção na Petrobrás.