REINO UNIDO DEIXA A UNIÃO EUROPEIA

O movimento “Brexit” (abreviação de “British Exit”, “Saída Britânica”) venceu o referendo, e com isso o Reino Unido deixará a União Europeia (UE), ao qual aderiu em 1973. Numa disputa acirrada, 51,9% votaram pela saída, enquanto 48,1% votaram pela permanência. Esta decisão conduzirá o país e a UE a uma negociação de pelo menos dois anos para definir os termos desta separação.

Com a saída da UE, o Reino Unido poderá negociar livremente uma nova relação comercial não somente com os países membros da UE, mas com outros países importantes, como China, Índia e EUA, estando livre das regras do bloco. O país também poderá retomar o controle de áreas como legislação trabalhista, saúde e segurança.

Por outro lado, espera-se turbulências nos próximos anos, que atingirão especialmente a Europa, em áreas como cooperação política, militar, econômica, social e cultural. Também haverá impacto na imigração e controle de fronteiras, e só o tempo dirá quais mudanças ocorrerão nesta área sensível.

Um problema que surgirá quase imediatamente é a situação da Escócia. Há dois anos um referendo em favor da independência deste país do Reino Unido foi derrotado. Já que a maior parte da população escocesa votou a favor da permanência na UE, o país poderá requerer novamente a separação, para voltar ao bloco.

Por outro lado, o exemplo do Reino Unido poderá levar outros países do continente a convocarem pleitos para decidirem por uma eventual saída da UE, o que reforçará o conceito de Estados soberanos, em detrimento do projeto supranacional europeu.

 REINO UNIDO E UNIÃO EUROPEIA