REBELIÃO vs. REVOLUÇÃO

É importante depurar a linguagem. Conservadores não são “revolucionários”, nem fazem “revolução”. Eles são “rebeldes” e fazem “rebelião” contra governantes que perdem sua legitimidade e passam a tiranizar o povo, cerceando suas liberdades.

Cristãos protestantes lideraram rebeliões bem sucedidas: a Guerra Civil Inglesa (1642-1651), a “Revolução Gloriosa” (1688), a Independência Americana (1775-1783), e a demolição do comunismo na Alemanha e na Romênia (1989). Em cada uma destas rebeliões cristãos protestantes estiveram intensamente envolvidos, e ao fim das mesmas as nações foram transformadas – para melhor.

A Operação Valquíria (1944), a tentativa malsucedida para decapitar o nacional-socialismo (que era um movimento revolucionário), também foi uma ação rebelde, liderada por militares e civis cristãos, católicos e protestantes. Mesmo não conseguindo encerrar a guerra, os que pagaram com a vida por se envolverem na fracassada operação são celebrados hoje como heróis, na Alemanha.

“Call me rebel, call me traitor, call me patriot if you like. But if you infringe my freedom, then I promise: I WILL FIGHT!”

[Me chame de rebelde, me chame de traidor, me chame de patriota se você quiser. Mas se você infringir a minha liberdade, então eu prometo: EU VOU LUTAR!]

– Barrett Tillman, “I Will Fight”

rebeliao-vs-revolucao