O DIA DO “TCHAU QUERIDA” ESTÁ PRÓXIMO

Depois da tentativa do golpe bananeiro de Waldir Maranhão (PP-MA), que tentou anular a votação do impeachment no plenário da Câmara e depois revogou seu ato tresloucado, ontem começou a contagem das horas para vermos Dilma Rousseff e seu séquito esquerdista descer a rampa do Palácio do Planalto fingindo ar altivo.

Ao fazê-lo, além dos milhões de desempregados e da violência que se alastra pelo país, deixam como herança um déficit brutal, a mais longa recessão da história, a Petrobras quebrada, o maior escândalo de corrupção que o mundo já viu, e o exemplo acabado da privatização do Estado a serviço de uma agenda torpe.

A imagem de Dilma descendo a rampa será um dos grandes momentos da democracia brasileira. Não só por simbolizar uma fragorosa derrota da esquerda no país, mas por mostrar que o Estado de Direito está expulsando da sede do governo federal um partido que alojou uma cleptocracia no país, e que nunca aceitou a democracia como um valor inegociável: na oposição, sabotou governos; no governo, mobiliza-se para não sair do poder. E não reconhece a legitimidade do “outro”, nem a alternância do poder.

O PT há anos acredita ser dono do Estado. Agora, tirados pela força da Constituição Federal, os milicianos da CUT, MST e UNE tentarão de tudo para atrapalhar ao máximo o próximo governo… pois o PT e seus sequazes não pensam no país: só restou a eles bloquear cidades, causar transtornos e prejudicar a normalidade do país.

 tchau-querida