CRISTÃOS PODEM PARTICIPAR DE PROTESTOS CONTRA O GOVERNO?

Livro que reúne cinco ensaios de Wayne Grudem e Barry Asmus, tratando de temas instigantes e relevantes, tais como: “os cristãos devem influenciar positivamente o governo?”, “o papel do governo na regulação do mercado e a desigualdade econômica”, “direitos de propriedade inerentes ao oitavo mandamento são necessários para a prosperidade humana” e “qual o risco para os negócios se perdermos uma cosmovisão cristã?”

O terceiro ensaio, “é correto o cristão participar de atos de desobediência civil, protestos públicos e tentativas de mudar o governo em situações específicas?”, é sensacional, e vale o livro inteiro. Foi uma das palestras proferidas por Grudem no 10º Congresso de Teologia Vida Nova.

Uma citação:

De acordo com Greg Foster, da Kern Foundation, estudioso especialista em história da teoria do governo, um argumento comum entre os autores cristãos [do passado] era o de que um ‘governo’ tirano ‘não é, de fato, um governo verdadeiro, mas uma quadrilha de criminosos que se faz passar por governo e, portanto, não pode reivindicar a obediência devida aos governos (legítimos)’. Outro argumento era o de que ‘o princípio do estado de direito […] implica o direito à rebelião’ (…). Presumo que a ideia que serve de base para esse argumento é a de que nenhum governante humano pode violar de modo flagrante a lei e agir como se não fosse sujeito a ela.

Wayne Grudem e Barry Asmus, Economia e política na cosmovisão cristã (SP: Vida Nova, 2016), p. 68.

economia-e-politica-wayne-grudem