O DIA HISTÓRICO QUE NÃO TERMINOU

Sexta-feira, 4 de março de 2016, foi o dia em que Lula despertou com a Polícia Federal na porta e “foi dormir fantasiado de jararaca”.

Os procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato expuseram ontem a anatomia do petrolão: “A estrutura criminosa perdurou por, pelo menos, uma década. Nesse arranjo, os partidos e as pessoas que estavam no governo federal, dentre elas Lula, ocuparam posição central em relação a entidades e indivíduos que diretamente se beneficiaram do esquema”. Também afirmou-se que existe uma “organização criminosa dentro do governo federal” e essa organização “certamente possui um comando”. E que Lula seria o beneficiário, no sentido de que “esse esquema é de compra de apoio partidário, então o beneficiário será sempre o chefe de governo”.

E, segundo os investigadores, a corrupção só se alastrou devido a “vinculação de legendas políticas que compunham a base aliada do governo federal”.

Mas o dia em que Lula descobriu que ninguém está acima da lei ainda não terminou. A delação de Delcídio do Amaral deverá ser homologada nos próximos dias; e a delação de Pedro Corrêa está a caminho e promete ser igualmente bombástica.

[Foto da Época: Lula na área reservada da Polícia Federal no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo]

 o-dia-historico