Vale tudo?

Desde que postei em minha página do Facebook duas respostas ao Pr Silas Daniel, bloqueei vários leitores que se identificam como arminianos. Em comum, a postura imatura de achar que citação malfeita vai “ganhar debate”, a compulsão chata de ter que reafirmar sua fé, a postura facciosa, etc. Não se portaram com educação ou respeito, apelando para argumentos banais. E, até onde percebi, NENHUM deles leu meus textos. A minha página tem moderação, e ali não há espaço para este tipo de pessoa.

Agora, a situação se agravou. Eu e o irmão Pastor Geremias Couto fizemos alguns comentários sobre uma frase de Martinho Lutero, “enquanto dormia ou bebia cerveja (…) a Palavra fez tudo”. Alguns destes supostos arminianos resolveram nos rotular de “pastores beberrões” e “cachaceiros” em seus perfis, relacionando calvinistas com embriaguez. Em nenhum momento na postagem eu disse que tomo bebida alcóolica. Eles deduziram o que não foi falado, e espalharam difamação. Quanto à bebida fermentada, a Bíblia não ensina abstinência, mas moderação. Estes cínicos rasteiros provavelmente criticariam a Jesus por ter transformado água em vinho em Caná da Galiléia ou a Paulo por recomendar Timóteo a tomar um pouco de vinho. Ou repetirão a lenda carola de que o vinho dos tempos bíblicos era “suco de uva”. Estes impostores não sabem que John Wesley fez campanha contra bebidas destiladas, mas consumia cerveja e vinho. E entendia que o vinho deveria ser servido na Ceia do Senhor a todos os fiéis, em obediência à Bíblia e aos Artigos da Igreja Anglicana (art. XXVIII). De qualquer forma, Geremias Couto tratou desta atitude hipócrita em uma ótima postagem em seu perfil.

Mas o que estas pessoas querem é “vencer” o debate sobre soteriologia pela desqualificação. Inclusive, um destes abstêmios chegou ao ponto de chamar o pastor Geremias Couto de “anencéfalo”. Tal atitude não só é deselegante, grosseira, mas sórdida. Portam-se como legalistas manipuladores da pior espécie; tornam a fé cristã caricata, desfiguram-na. Guias cegos, que coam uma mosca (fingindo ser aqueles de “consciência fraca”) e engolem um camelo (espalhando “falso testemunho”). Devem viver constantemente com azia.

Estes também devem lembrar que em nosso país difamação é crime. E que, eventualmente, devem estar prontos a responder por ele.

4 213